terça-feira, 30 de setembro de 2008

Lovefool.

Sabe quando tudo parece se iluminar mesmo que apenas por um momento? Aquela velha e breve esperança de que tudo vai dar certo? Mesmo nos amores mais impossíveis ou improváveis há um fundo de felicidade, mesmo que nada aconteça. O simples sentir algo diferente por determinada pessoa já faz com que tudo pareça mais legal, quilometros de distancia não parecem nada, impossibilidades deixam de existir, e nem precisa ser mutuo, e isso é que é a parte mais legal! Eu não me importo, eu gosto dos meus amores impossíveis, tem gente que curte sair, tem gente que curte beber, tem gente que curte fazer coisas doidas, eu curto ter minha coleção de amores impossíveis u.u gosto não se discute, certo? Eu acho que manter isso em segredo é o melhor a se fazer, magoar pessoas com sentimentos egoístas é meio, ahm, egoísta? Talvez eu não me incomode de exteriorizar mas fazer outra pessoa sofrer fazendo com que ela também goste de você e vocês nunca possam ficar juntos me parece meio injusto... A real é, estou me apaixonando por alguém que eu não devia e não quero que isso aconteça =D Se eu não falar isso aqui, vou falar onde? =B
A capa é do Stadium Arcadium do Red Hot Chili Peppers, foi lançado em maio de 2006. Na minha opinião a melhor faixa é a número 13 do disco Jupiter: Wet Sand, escutem >.<
Eu também queria que dessem uma escutada no cd First Band On The Moon do The Cardigans
e especialmente na musica Lovefool, titulo dessa postagem. Um Abraço.

segunda-feira, 29 de setembro de 2008


Quem sou eu
Uma folha levada ao vento
Uma gota de chuva que cai no lago
A brisa
O amarelo do pôr-do-sol
Como se alguém se importasse

quinta-feira, 25 de setembro de 2008

99999999999999 visitor!!!!

O Visitante 1000 ganha um bonus especial n.n


Comente!




Cd Terror Twilight do Pavement.

terça-feira, 23 de setembro de 2008

O que você é?


Você já parou pra pensar em tudo o que você é? Em tudo que te torna você mesmo?
Você é tudo o que ocorreu durante a gravidez de sua mãe, você é o relacionamento do seus pais em relação à você, você é os brinquedos que brincou, as conversas com seus pais, as gírias que usou, os conselhos que seguiu, as decepções de não ter dado certo, as alegrias das conquistas, as derrotas, as vitórias, os conselhos que deu, o amor gostoso que viveu, o pior relacionamento que já teve, o renascido após escapar do acidente, o ferido após a briga, o ferido com palavras após a briga, ou mesmo aquele que feriu. Você é aquela encrenca em que se meteu, ou mesmo o problema que resolveu, você é aquela conversa séria com seu pai, ou aquela briga com a sua mãe, você é o que você lembra. Você é aquela saudade que não vai embora, aquela cidade distânte, os seus amigos de infância, seus amores perdidos, seus amores nunca tidos, você é a infância que recorda, aquele banho de chuva, aqueles amigos, aquela solidão. Aquela velha música, aquele perfume, aquela flor, aquele cheiro, aquele lugar, aquele pôr-do-sol, você é a saudade dos seus pais, da sua família, daquele abraço, ou mesmo daquele abraço que nunca teve, da família que nunca te confortou, você é toda a falta que sente, todo o vazio que há, todo o amor de mãe, toda a parceria de pai, você é aquele arrependimento de não ter falado na hora, você é todas as músicas que já ouviu, todos os filmes que já assistiu, todos os livros que já leu, assim como você é aquela sua música favorita, aquela parte da música que você chora, aquele filme que te emociona, aquele livro que te arrepia, aquele acontecimento que te abala, aquela rua que você gosta, as casas em que você morou, aquele velho sótão, aquele confortante porão. Você é o seu quarto, o que você sente lá, a sua casa, o que você sente e passa nela, você é aquela rua que lhe arrancou lágrimas um dia, você é a lágrima que lhe foi arrancada, a agonia que passou, o choro que chorou. Você é o que você chora, o que você pensa, mas não necessariamente o que você faz. Você é a ajuda que dá, a compreensão que tem, aquele abraço inesperado, o abraço dado, o abraço recebido, aquela lágrima causada, aquele beijo, aquele beijo roubado, aquele beijo que você queria nunca ter dado, ou mesmo o beijo que ainda nunca deu, você é aquele alguém que quer beijar, aqueles que já beijou, você é o toque dado, a flor recebida, o corpo acariciado, o desejo despertado, a bebida que foi tomada, a que está para ser tomada, você é tudo o que já passou, e ainda o que está por vir. Você é o amigo que é, o amigo que tenta ser, você é o amigo que precisa, o amigo que você tem, você é a sensibilidade que grita, a agonia que desperta, o orgulho que despreza. Você é a gargalhada que dá, a gargalhada que causa, a palavra que fala e a que recebe, você é o orgasmo, você é o sexo, a excitação, você é o ser, você é o que desnuda, você é o que precisa e o que causa. Você é o preconceito, você é a discriminação, você é a paz que causa, você é o que prospera, você é toda a raiva da hora, o desprezo de agora, a mágoa de todo o sempre, você é o sorriso dado, o sorriso causado, você também a mudança, ou a impotência de não conseguir mudar, você é o poder, você é o que não pode, é a liberdade que tem, é a liberdade que oferece, é a liberdade que deseja, você é o desejo, o ardor, você é o ódio daquele professor, a raiva do governo, o desapontamento, a vergonha que causa, a vergonha alheia, a vergonha que passou. Você é a vítima, você é o assassino, você é todo aquele problema, você é o ódio que tudo isso dá. Você é a vida que tenta levar, você é tudo o que você queria. Você é o que você tem, o que você queria ter, o que você terá. Você é seus avós desconhecidos, os parentes distantes, os carinhos de vós, os avôs inexistentes, os avôs inegualáveis. Você é aquela praia, aquele dia de sol, aquela piscina. Você é toda a vida, toda a injustiça, todo o justo. Você é a sua vida inteira, ou o que você considera que apenas chamem de vida. Você é aquele inverno frio, aquele dia muito quente, aquele sorvete, aquela torta da tia, aquele bolo de aniversário e todas as velinhas que já soprou. Você é aquelas fotos que tirou, aqueles vídeos gravados, aquele trabalho em grupo, o primeiro carro, o primeiro trabalho, o primeiro dia na nova escola, o primeiro beijo, o primeiro namorado, a primeira vez, a primeira reabilitação, os dias no hospital, o braço quebrado, a perna engessada, a dor de cabeça, o nervosismo, a ansiedade, você é a cor do seu cabelo, os elogios, os desprezos, as críticas. Você é o cigarro que fumou, as drogas que usou, as festas que foi, as músicas que dançou. Você é o que lhe agrada, o que lhe repugna. Você é muito mais além do que qualquer pessoa pode ver, você é todas as razões para ser assim. Você é quem tem todas as razões para não acreditar que o que pensam de você está correto ou não, você é quem tem todas as razões para não pensar que as pessoas são assim. Você é o que você não vê nos outros, você é todas as razões que você extinge. Você vai muito além do que simplismente ''você'', você vai além do que se pode ver, além de uma simples conversa, além de algumas piadas, umas cartas, umas palavras, você vai além daquele vento que arrepia, além daquele temporal. Você é o que ninguém vê.

domingo, 21 de setembro de 2008



Não sou nada.
Nunca fui nada.
Nunca serei nada.
Não posso querer ser nada.

sábado, 20 de setembro de 2008

Que a justiça seja feita!

A justiça impediu a realização do 25º Pop Rock Brasil em BH... Algumas das atrações eram Maroon 5 e NX zero...
Bem, a justiça tarda mas não falha!
Meus sinceros parabéns à juíza da 34º Vara Cível de Belo Horizonte, Mônica Libânio Rocha!

Broken.


Eu procuro meu próprio inferno, que por varias vezes já foi meu paraíso, fingindo aguentar toda essas conversas que me empurram todos os dias. Sortudo por estar mergulhado em um humor acido, que me corroí dia após dia sem dar maiores explicações, apenas desmancha meus sonhos como se fossem pequenas formigas queimadas por algum garoto entediado. Me deliciando com minhas frustrações, procurando sempre alcançar o sol para que minhas asas de cera derretam e eu possa curtir a queda com uma certa dose de prazer. Esse sorriso doentio que eu conservo em minha face não é pra te agradar, nem pra te irritar, quanta pretensão a sua de pensar que me importo com o que você pensa, há muito tempo que não sei o que é realmente me importar com algo, tudo perde a graça. Sem complicações, ser um idiota não me incomoda e até me faz feliz de certo modo, quem poderia julgar um idiota? Atos aparentemente infundados escondem meus reais princípios, meus objetivos e desejos, adoro perder minhas horas apreciando o quanto eu consigo parecer inofensivo e no fundo ser mal, não para os outros, mas para mim mesmo. Eu não me importo, não faz diferença.
Capa do cd Highway To Hell do Ac/Dc.

Just Stripes


Manter tudo sob controle.
Como se fossemos pré determinados a seguir um só caminho, sem opções, bobagem! O descontrole é inevitável partindo do ponto em que a perfeição inexiste, nada dura tempo suficiente pra que se torne eterno, tudo se esquece, se modifica ou acaba.
Padrões, padrões, blá blá blá, foda-se. Você quer viver nisso pra sempre? Vai tentar mudar as coisas? Realmente nada faz sentido pra quem precisa que ele exista, um viva à inércia que me faz viver cada dia sem preocupações desnecessárias, afinal nunca se sabe ao certo o que vai acontecer, não é? Tudo da certo quando está dando errado, planos são feitos para fracassarem, pense justamente o reverso do que você realmente quer e voilá. Nostalgia, ai está um bom modo de ver a vida, se prender ao passado é muito vantajoso, já reparou que todo mundo foi feliz no passado, todo mundo quer voltar atrás, ah... nada como "os velhos tempos", onde todo mundo era feliz e ninguém se preocupava com o passar dos anos, por falar nisso, tudo passa tão rápido as vezes e igualmente devagar em outras, eis ai a teoria da relatividade. Quando se esta passando por bons momentos o tempo passa mais rápido, e quando se está fortemente F* o tempo passa bem devagar, Einstein era mesmo um gênio e o tempo continua sendo um grande filho da p* desde aquela época.
As vezes chega a ser engraçado o quanto não fazer nada me parece extremamente agradável, eu poderia passar horas não fazendo nada, muito libertador penso eu, mas como nada é perfeito eu, como todas as outras pessoas, tenho que fazer coisas inúteis pra manter as aparências e viver normalmente, é a vida.
A foto dessa postagem é a capa do álbum The Empire Strikes First do Bad Religion que vocês podem ouvir clicando no link. A partir dessa postagem todas as outras terão capas de álbuns de bandas que eu gosto, só pra variar um pouco.

sexta-feira, 19 de setembro de 2008

Realeza


A real é que em todo o lugar, sempre você irá encontrar pessoas que se acham melhores do que você. Minha tia me disse uma vez quando eu estava deprimido: "Alisson, todos são iguais e ninguém é melhor que ninguém". Eu acho que essa foi uma das frases que mais me marcou.

Minha tia Gleiva sempre foi como uma segunda mãe pra mim, quando eu era pequeno ela morou um tempinho aqui em casa. Ela me cuidava enquanto a minha mãe ia pra faculdade ou trabalho não me lembro bem ao certo.

Mas continuando, isso me fez pensar (não precisa de muita coisa pra me fazer refletir sobre algo, isso é uma das minha qualidades eu acho mas também uma maldição) ninguém é melhor que ninguém? Então porque todos não somos iguais? Minha conclusão foi que ninguém realmente é melhor que ninguém, simplesmente diferente. Você nasce com a capacidade do raciocínio. Serão oferecidas oportunidades iguais a todos, depende das escolhas que você faz, caminhos que toma e acredite se quiser insetos que mata, pastas de dente que usa e até mesmo o que você come para mudar completamente a sua vida. Todos os dias sua vida muda completamente por essas e outras milhares de pequenas coisas que você faz. Há pessoas que escolhem os caminhos mais fáceis: construir uma escadaria de pessoas para chegar ao topo. Degrau por degrau, pisando em quem tiver que pisar só pra chegar ao topo. O que tem no topo? Bom eu acho que nada. *=D
Eu os chamo de reis, não por reconhecimento de seus grandes feitos (acredite não há nenhum que realmente seja grande, não no meu ponto de vista) mas por sarcasmo.
Eu escolhi ficar longe deles, não me arrependo e não me importo de abrir mão desse tipo de gente.

O karma existe *-*

*tentativa de ironia.

Sinto que a bênção da criatividade argumental me abandonou.

quinta-feira, 11 de setembro de 2008

" "

Há muito tempo que não sou eu.

Fernando Pessoa

quarta-feira, 10 de setembro de 2008

Lágrimas não são argumentos.


Não pensei que te magoaria tão fácil.
Palavras são como espinhos, e talvez minha alegria se vá como se fosse o vento, são apenas mais comparações inúteis pra algo que de fato não sei explicar.
Sentimentos são realmente complicados quando você sente que não deve senti los, não pela pessoa errada, mas e se não houver pessoa certa? Existe algo certo ou incerto, não sei, algo que se deva seguir?
Caminhos são como palavras, perdem o sentido se não forem escutadas ou seguidas, mais uma vez apenas comparações.
Nada de novo acontece por aqui, apenas o usual, o inabalável senso de que tudo esta bem quando acaba mal, fingir é realmente confortável... Um idiota qualquer em uma fotografia mal batida, coisas que serão esquecidas, como tudo um dia acaba sendo... Sentimentos, cartas na mesa, uma lembrança qualquer que te ocorre em uma tarde monótona de domingo, aquela vontade que vem do nada, horas perdidas na frente da TV, única companhia casual em todas as noites, simples e pratico, on e off. Não é por nada, é por não ser o que todos queriam que fosse, perfeição. Me encontrar é a parte mais difícil de tudo isso, posso estar no meio dessas velhas fotografias ou no fundo de uma bela garrafa de vinho tinto, na primeira estrela que apareceu no céu hoje ou no ultimo raio de sol que insiste em brilhar ao fim do dia, posso ser as folhas secas do outono ou a simples brisa que bate no teu rosto como se tentasse colocar um sorriso em sua face.
A vida, simples como montar um cubo mágico. Apenas mais comparações...
Um personagem habitual do cotidiano, com problemas habituais, amores habituais, infelicidades habituais... Desejando ser algo acabei não sendo nada, e o que é nada se não a ausência do tudo, o que seria do tudo sem o nada? Palavras e palavras, repetições e esperanças, sem descanso, com descaso, ou alcanço, ou acaso. Não sei se caso ou compro uma bicicleta, mesmo assim lágrimas não são argumentos.

segunda-feira, 8 de setembro de 2008

Insignificância


O que é a insignificância?

Prazer, meu nome é insignificância. Meu eu mais sábio me chama assim...
Sussurra no meu ouvido: "Hey garoto, você perdeu mais uma chance. Se você me der 10 minutos no controle eu posso fazer com que você brilhe mais que ouro e derrube todos eles. 10 minutos e eu acabo com toda as suas preocupações... 10 minutos que transformarão o seu inferno no meu paraíso."

Ele sabe das coisas. O jeito com que eu me escondo das minhas obrigações, sentimentos e afins. Ele sabe em baixo de que tapete eu escondo tudo com o que eu não posso lidar. Ele não é o único, todos podem ver... sabe, quando você esconde metade da sua vida ali em baixo é quase impossível deixar passar por desapercebido tanto volume.

"Logo todos saberão do que eu sou capaz... eu não preciso de você, se me der licença eu estou ocupado agora desperdiçando a minha vida" é como eu respondo à ele.

Continue aí, não me importo com o que você seja mas sim com a injeção de ânimo que você me dá todos os dias, elas fazem de você uma parte importante minha, seria uma perda mais significativa do que uma mão se algum dia preferisse me deixar ao conviver comigo... lembre-se nos momentos de desilusão:

Sou a sua insignificância, a humildade que sem a qual você não vive. Você é a minha coragem, a parte mais importante da minha alma.

Tem sido anos monótonos, mas eu juro que irei lhe recompensar, em breve.

De volta para o futuro



Tempo. O que é isso? Pra mim é mais fácil deixar que um aparelho que possui um arco se movimente repetidamente em um círculo. Assim é bem melhor saber onde estamos. Quando ele parar teremos uma base. Pois para nós, o tempo pode variar e muito. Em um flash de pensamento não se sabe quanto tempo se passou, normalmente alguns segundos, mas depende do que estamos sentindo no momento. Alegria, felicidade, diversão passam rápido (é?) que nem sentimos o tempo. Talvez seja isso, o não sentir, pois ele não existe, só é algo que nos separa de momentos bons, seja quando ficamos tristes e queremos ficar alegres, seja quando vemos uma fotografia de quando éramos felizes, seja "quanto tempo falta pro ônibus chegar?". Ou, principalmente quando vemos as mudanças, o quanto crescemos fisicamente, aquela planta que virou uma árvore, aquele amigo de infância que encontramos do nada.
Acho que precisamos de algumas coisas para não enlouquecermos, onde estaríamos sem as marcações? ás vezes são coisas necessárias e aí nos sentimos que não somos grande coisa. O tempo nos arrasta como uma parede de vidro que nos empurra a uma direção que não sabemos. para alguns ela parece ser mais devagar, para outros mais rápida, para alguns até ela parece estar estacionada. Se ela não existisse... onde estaríamos? Perdidos? No tempo? No tempo x espaço? No espaço sem nenhum tempo onde nada muda? Num espaço? De fato não se sabe, ou quem sabe me diga . Mas, observando tudo, vejo há conexão [ humrrum ], o planeta em movimento precisa de ...? q
Precisa de um lugar ou uma coisa que nos empurre ao movimento [ á ação] e talvez seja isso, o tempo. Ou muito mais do que isso, claro.

sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Claude Monet

Les bateaux roges, 1875
Paysage à Port-Goulphar, 1861
La Seine à Asniéres, 1873
Femmes au jardin, 1866-1867

Eglise de Vétheuil, 1879

Partido Turco está crescendo!


Foto de uma residência que pertence a um sem noção, digo um indivíduo culto e visivelmente dono de sua sanidade mental que aderiu ao partido turco como uma opção indecente nessas eleições.

quinta-feira, 4 de setembro de 2008

Just Stripes.


Manter tudo sob controle.
Como se fossemos pré determinados a seguir um só caminho, sem opções, bobagem! O descontrole é inevitável partindo do ponto em que a perfeição inexiste, nada dura tempo suficiente pra que se torne eterno, tudo se esquece, se modifica ou acaba.
Padrões, padrões, blá blá blá, foda-se. Você quer viver nisso pra sempre? Vai tentar mudar as coisas? Realmente nada faz sentido pra quem precisa que ele exista, um viva à inércia que me faz viver cada dia sem preocupações desnecessárias, afinal nunca se sabe ao certo o que vai acontecer, não é? Tudo da certo quando está dando errado, planos são feitos para fracassarem, pense justamente o reverso do que você realmente quer e voilá. Nostalgia, ai está um bom modo de ver a vida, se prender ao passado é muito vantajoso, já reparou que todo mundo foi feliz no passado, todo mundo quer voltar atrás, ah... nada como "os velhos tempos", onde todo mundo era feliz e ninguém se preocupava com o passar dos anos, por falar nisso, tudo passa tão rápido as vezes e igualmente devagar em outras, eis ai a teoria da relatividade. Quando se esta passando por bons momentos o tempo passa mais rápido, e quando se está fortemente F* o tempo passa bem devagar, Einstein era mesmo um gênio e o tempo continua sendo um grande filho da p* desde aquela época.
As vezes chega a ser engraçado o quanto não fazer nada me parece extremamente agradável, eu poderia passar horas não fazendo nada, muito libertador penso eu, mas como nada é perfeito, eu, como todas as outras pessoas tenho que fazer coisas inúteis pra manter as aparências e viver normalmente, é a vida.

terça-feira, 2 de setembro de 2008

Posso recompensa-los com chopp?

"O sumiço de 113 provas de uma das matérias mais difíceis do curso de administração de uma faculdade alemã promete acabar em chope. Para tentar contornar o incidente, ocorrido na Universidade de Hohenheim, em Stuttgart, sul da Alemanha, um professor prometeu pagar cem litros de cerveja a seus alunos.
É que, com o desaparecimento dos exames, eles serão obrigados a fazer novamente o teste no próximo semestre. Uma caixa contendo 113 de um total de 800 provas feitas pelos estudantes na disciplina Técnica de Contabilidade sumiu misteriosamente da sala em que os exames seriam corrigidos.
"Mas garantimos que todos ficarão satisfeitos no final", assegurou Klein. Do contrário, é possível que ele adote a idéia da própria mulher. "Minha mulher sugeriu, como forma de ressarcimento, que eu distribua tomates aos alunos e me ponha como alvo, na frente da sala de aula", brincou o economista."

O que leva alguém a pensar que uma noitada de chopp vai poder recompensar isso? Sem maiores comentários.
Qual seria a sua reação?
Sem mais.

Partido Turco


Nessas eleições troque o confirmado pelo duvidoso, vote no Partido Turco, e seja feliz.
Muitas pessoas estão aderindo ao Partido Turco [aliciados com notas de 3 reais] por sua forte oposição social e o escambal a 4 que não cabe a mim explicar, desde quando você precisa pensar pra votar?
Nós somos o partido turco, e você também pode ser.
Até mesmo celebridades já fazem parte do partido:
Partido Turco esta na coligação com a Reversal Russa para um novo amanhecer, ou não.
[Vote consciente, sem zueira agora xD]

segunda-feira, 1 de setembro de 2008

Internet Hidráulica?


Estava lá eu no banheiro, obedecendo o "chamado da natureza" quando peguei uma revista para ajudar a passar o tempo. Algo me chamou a atenção, era uma Época, o ano eu não sei já que a revista estava sem capa e não tive muito interesse em procurar, mas era velha.
Uma matéria sobre internet hidráulica (internet a água), na hora eu pensei:

"WTF!?!?! Os dinossauros querem revolucionar o wireless =O~~"

Mas logo percebi que a própria revista tomava posição no assunto como "inventivos" e já me senti mais tranquilo. Agora pensem bem, se fosse mesmo possível nós chamaríamos um encanador e não um técnico quando houvesse algum problema? Seria meio estranho dizer ao "cara que arruma o PC" aaaah jah que tah aki olha o meu vaso tbm ;D




Obs.: A prova viva de que a revista era antiga... um PC com um processador celeron 1.1 GHz, 128 de RAM, 20gb de hd e vai piorando... por apenas 3 mil reais =D

Liberdade.


Hoje tive uma aula muito esclarecedora no colégio sobre liberdade, mas refletindo bem sobre a liberdade descobri [ou não] que nunca fomos livres de fato, vivemos em uma sociedade que impõe limites e em qualquer lugar do mundo vai ser assim. Toda a ação vai ter uma reação e isso por si só já é violar a liberdade, porque pra mim liberdade é pode fazer o que bem entender sem prestar contas, é poder não ter medo de reprovações apenas por ter ideias diferentes, se fossemos livres creio que não teríamos preconceitos ou qualquer tipo de briga entre as pessoas, quando não formos mais presos a valores inúteis, a um estereotipo de cidadão perfeito, a preconceitos pré históricos e a nossa própria mediocridade não seremos livres, como disse John P. Sartre na peça "as moscas": Eu sou a minha liberdade. Teoricamente apesar de estarmos presos as regras da sociedade podemos ser livres já que podem nos tirar e nos aprisionar tudo menos nossa alma e nossos pensamentos. Acho que fugi da ideia principal, whatever.
Ocorreu um erro neste gadget