terça-feira, 28 de setembro de 2010

Oblivion



noites interminaveis se passaram
desde que minha alma se foi
eu me sinto tão frio agora
perdido nas minhas próprias palavras

memorias cairam no esquecimento
o passado se afastou
eu deixei para tras apenas as mentiras
e mantive meus propósitos

afundando dentro do meu cerebro
procurando respostas aos meus pecados
acima de todos os medos, o destino
a morte, aniquilando tudo que nós conhecemos

é um simples jogo de cartas marcadas
sem chance de vencer sem perder meus principios
essa poção venenosa chamada sangue
corre pelas minhas veias me deixando doente de novo

eu não quero ir
a partida é tão longa
tão lenta e dolorosa
como laminas cortando gargantas

troféis na estante
falsas memórias mortas
eu esqueci de viver
e deixei para morrer outro dia
Ocorreu um erro neste gadget