sábado, 18 de outubro de 2008

Bobagíces

Bom vamos começar com o festival de bobagens para alegrar um pouco mais o blog!


Frases espertas:


"Eu não sou racista, porque racismo da cadeia e cadeia é coisa de nego."

"Ver a galinha em cima dos ovos esperando o pinto sair, é chocante."

"BB King é o apelido do filho do rei."

"Eu me casei porque acho que felicidade não é tudo na vida. "

"Traíra é o tipo do peixe que não dá para confiar."

"Defender uma grande tese é um tesão ?"

"Mulher gorda é que nem Ferrari... Quando sobe na balança vai de Zero a cem em três segundos."


E para completar, com vocês o bebê mais rápido do velho oeste!


Pretend or not pretend: that is the question!


Finjo de verdade

mas eu sinto

ela deseja o céu

e é mais do que eu posso dar


todo o segundo que se arrasta

mais uma traça no teu livro

ela acredita no azul

e eu acredito em desistir


you could't have everything baby

um pouco de paciencia

durma até passar

mesmo sabendo que é mentira


tudo por um sorriso

todo mundo sabe

eu flutuo no ar

e me afasto do sol


se for pra machucar

de o seu melhor

não é assim tão fácil

pra quem já esta acostumado.

domingo, 12 de outubro de 2008

Estranhezas.


Pleno domingo, eu escutando Hey Jude ou Bidê ou Balde, vendo um filme em preto e branco no maldito domingo maior, o msn trancando como sempre, estranhezas da vida. Me pergunto o porque de ser tão dramático, me importar demasiadamente, ou não fazer questão, escolhas que tenho que fazer meio que me fazem ficar louco, odeio ter que escolher, e eu odeio perguntar o porque das coisas, mesmo assim continuo perguntando, eu não sei porque, mas desejaria saber. Interessante como a vida da gente pode ser estranha, as vezes parece estar dando tudo certo, parece comédia romântica, e as vezes da tudo muito errado e parece um daqueles dramas dos anos 70/80/90 seja lá qual for o ano. Muito massa atropelaram alguém na TV agora, eu não sei porque achei legal, mas foi u.u Malditos filmes em preto e branco. 70% dos meus contatos online no msn estão escutando Nx Zero, porque ninguém além de mim escuta Pavement com frequência? Estranho... Eu não sei bem o que falar, faz parte das minhas conversas comigo mesmo, pensamentos correndo livremente, sem direção, só correndo. Liberdade, ainda que só de poder pensar, porque liberdade total não existe. E o Bruce Willis continua matando no filme, me pergunto por que diabos o filme é em preto e branco, ou será só a tv? Bruce Willis e John Travolta no mesmo filme, só pode dar morte a cada cinco segundos, mais bizarro que filme do Steven Segal. O relógio ta marcando 02:07 dizendo, durma, durma, durma, ou algo do genêro, já que amanha ele vai impiedosamente me acordar as 06:00 =/ Antes do relógio todos tinham tempo, hoje todos tem relógios, já dizia o outro... Mas quem é o outro? irmão do Badanha? ou primo do jozé, isso mesmo, aquele do: E agora Jozé? Pra mim o outro é uma criatura suprema e sabia, já que sempre usamos citações dele em diversas situações, deviam ter uma religião louvando ao 'outro', já que existe religião pra tudo hoje em dia. A solução é o rock, ou a musica, ela ainda salva. Tudo é musica, passos, pássaros, carros, poluição, até aquele seu maldito vizinho arrastando os móveis em cima da sua cabeça. Estranho, depois dizem que sou estranho, todo mundo liga mais pra dinheiro do que pra qualquer outra coisa, eu também ligo, mas eu não tenho, o que me faz diferente de quem tem.
Gritando para o céu, reclamando mais uma vez, reclamar é humano, todos reclamamos, e aqui estou eu mais uma vez falando coisas bobas e óbvias só pra tentar chamar atenção. Mas eu me sinto feliz, mesmo tudo dando errado, se eu for notar sempre existem e existirão razões para que eu fique feliz, até mesmo a certeza quase absoluta de acordar amanha e ter um bom dia, ver meus colegas, conversar com meus pais, respirar, viver, sem muitas preocupações além do bom colégio onde eu estudo, das apresentações que farei terça, e de algumas escolhas que mudaram o futuro, dia normal, um bom dia, maldita Segunda-feira.

sábado, 11 de outubro de 2008

Eu Sinto a Sua Falta.


Não creio ser um homem que saiba. Tenho sido sempre um homem que busca, mas já agora não busco mais nas estrelas ou nos livros: começo a ouvir os ensinamentos que meu sangue murmura em mim. Não é agradavél a minha história, não é suave e hamoniosa como as histórias inventadas; sabe a insensatez e a confusão, a loucura e sonho, como a vida de todos os homens que já não querem mais mentir mais a si mesmos. [Hermann Hess]

quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Pessoal, ta chegando a 1500° visita, daremos um premio a 1500° ou só a 2000°?

terça-feira, 7 de outubro de 2008

Banda preferida.


Eu nunca fui um cara com banda preferida, sempre escutei de tudo e gostei de boa parte das coisas que escutei/descobri/me apresentaram, mas depois de ver FLCL (Furi Kuri) eu conheci a melhor banda que eu já escutei, The Pillows é aquela banda que a gente escuta quando ta precisando ficar sozinho, quando ta triste, quando ta feliz ou só deseja ficar feliz. É tudo muito bom pra ser verdade, a voz e o instrumental se encaixam perfeitamente, o feeling, não tem solos impressionantes ou letras magnificas, é uma banda normal, na média, uma banda mais ou menos mas que conseguiu fazer com que eu realmente gostasse do que ouvi. Escutem. É The Pillows!

domingo, 5 de outubro de 2008

Espelhos..


É assim que vejo meus amigos e conhecidos na minha cabeça, como espelhos.
Nas happy-hours de fim de semana meu passa-tempo preferido é fazer-los se transformarem em cacos de vidro.
Há um motivo para não serem simplesmente vidro e sim espelhos... milésimos antes do meu punho alcançar a superfície frágil eu consigo um momento de sanidade, nesse tempo mesmo que seja somente um milésimo eu consigo definir em um vislumbre o meu rosto. É uma atividade bem relaxante e necessária para não se deixar cair no tédio. Se auto-destruir... bem relaxante.

Reflexos.

Sinto uma certa confusão, sabe quando você se olha no espelho e não sabe se o que você esta vendo é o que você realmente é?
Isso é meio complicado pra explicar agora, outra hora eu tento n.n
Cidadão Quem
2003.
Ocorreu um erro neste gadget